O que sabemos sobre quem inventou a bússola? Estamos tão acostumados a um estilo de vida que a questão de quem inventou essa pequena coisa curiosa que vemos hoje como algo normal certamente nos atravessa a mente. A bússola está presente na vida humana há muitos séculos. A sua utilização tem sido tão comum que podemos até pensar que esteve sempre ao alcance da mão do homem, mas não foi bem assim.

Se a bússola nunca tivesse existido, possivelmente as maiores civilizações que conhecemos não seriam como as vemos agora. Embora os seres humanos sempre tenham tido uma forma de se orientarem, por exemplo, seguindo a direção do sol ou das estrelas, a posição das estrelas dependendo das estações, o curso da água nos rios ou a sombra, a bússola é sem dúvida o dispositivo mais útil para se orientarem sobre a posição do lugar onde estamos.

No início não existia GPS, de fato, tecnicamente pode-se dizer que a bússola é a antecessora junto com o mapa GPS, que viria a fazer uma versão modernizada desses dois elementos que quase sempre estiveram presentes na história da humanidade.

As conquistas de invasões a outros locais, as expedições de todos os tipos, marítimas ou terrestres, têm exigido saber se orientar, e neste tipo de emissões as bússolas são o instrumento adequado e ideal para poder atingir nosso objetivo.

De qualquer forma, se queres saber quem inventou a bússola, então está na hora de leres o que escrevi aqui.

O que você precisa

  • * Leitura e pesquisa

Instruções de uso

  1. As primeiras bússolas históricas foram feitas com um mineral magnético natural. Este material é chamado de magnetite, que é um metal naturalmente magnetizado, funcionando como um ímã. Possivelmente as pessoas daquela época perceberam que todos os tipos de artefatos magnéticos sempre apontam em uma direção e repelem outra, e essa direção é o norte.
  2. Lembremos que os ímãs são capazes de atrair outros metais por meio de uma força invisível e de repeli-los da mesma forma. A Terra é um planeta que é praticamente como um imã enorme, e este material poderia ser usado para apontar sempre na mesma direção. Desta forma os utensílios de magnetita costumavam orientar-se como bússolas sempre direcionadas para o norte.
  3. Possivelmente os chineses foram os primeiros a explorar esse conhecimento, uma vez que há muitas evidências históricas para mostrar que a bússola possivelmente se originou na China antiga. Muito antes de Cristo já se falava de artefatos com magnetita que eram usados para guiar os viajantes, especialmente os marinheiros.
  4. Este tipo de artefactos antigos, que podiam ser considerados como as primeiras bússolas, eram feitos de formas diferentes, ou seja, havia vários tipos de bússolas. Um tipo de bússola que podemos destacar, era um pequeno canudo de madeira que era preenchido com uma agulha de magnetita. Este canudo foi ent?ao colocado sobre uma pequena placa com ?agua de modo que à medida que a agulha flutuava o canudo se movia para o norte. Infelizmente, este tipo de bússola poderia falhar quando as marés estivessem muito fortes.
  5. Havia um outro artefato que é um pouco mais semelhante ao tipo de bússola que conhecemos hoje, era uma colher de magnetita que foi colocada no centro de uma superfície criada de bronze polido. A colher sempre se movia na mesma direção, que é o norte, por isso servia de referência para orientar-se a partir do lugar onde se estava.
  • O uso da bússola foi aperfeiçoado e expandido dentro e fora da Ásia, mas não foi até 1180 que Alexander Neckam, um filósofo e estudioso inglês, falou pela primeira vez da utilidade da bússola na Europa. Neste caso, ele falou da utilidade do magnetismo como meio de guiar as pessoas numa determinada direção.
  • Em 1250 os marinheiros do Mediterrâneo criaram uma agulha magnetizada, que foi colocada sobre uma superfície com sinais que serviam para orientar os graus e lugares permitindo que fosse mais fácil de orientar. Foi assim que a bússola que conhecemos hoje nasceu.
  • Dicas

    • Durante muito tempo desconhecia-se porque a bússola sempre apontava para o norte, gerando inclusive muitos mitos, como a idéia de que havia uma quantidade muito concentrada de magnetita no norte do mundo. Estes mitos continuaram até que William Gilbert, um filósofo e médico de origem inglesa e pioneiro no estudo científico do magnetismo, demonstrou como uma agulha de metal adota uma postura reta quanto mais próxima está do centro de uma bola de magnetita. Isto fê-lo pensar que o planeta Terra é como um grande íman.