Esta explicação não é de modo algum uma regra geral sobre como fazer um ensaio ou ensaios para todas as áreas, mas apenas uma orientação básica que é geralmente esperada quando um aluno é convidado a fazer um ensaio ou ensaio sobre um tópico e irá informá-lo de alguns conceitos básicos para melhorar nos ensaios que você escrever e levar em conta fatores que talvez no momento você não levou muito em conta.

O primeiro e mais importante fator é que, dependendo do assunto, dos objetivos a serem perseguidos, a quem deve ser entregue, etc., os requisitos específicos de um julgamento podem ser um ou outro.
Um ensaio é basicamente um exercício de reflexão em que são avaliados quatro fatores fundamentais:

  1. o grau de reflexão.
  2. o grau de argumentação da posição defendida.
  3. criatividade e originalidade na abordagem.
  4. a qualidade da exposição.

Os pontos-chave de um bom ensaio são aqueles que mostram uma boa reflexão, são originais, são muito bem argumentados e estão muito bem escritos, contra um mau ensaio é caracterizado porque tem uma evidente falta de reflexão sobre o assunto, geralmente será superficial, pouco criativo e usado para repetir o que todos dizem sobre o assunto ou será limitado a dizer o que foi dito em classe, mal escrito e acima de tudo é mal argumentado dando poucas idéias que defendem a sua posição.

Se o maior problema é como fazer um ensaio para obter a melhor nota, isso não é nada fácil. Para isso, é necessário ser muito claro sobre o que se entende e como se entende. Para ser breve é ainda mais difícil: quando tiramos o canudo, citações, resumos, cópias, circunlocuções, e assim por diante.

Na maior parte do tempo que passamos escrevendo um ensaio, não precisamos dele para escrever, mas para pensar sobre a resposta às perguntas que você pensa sobre o assunto, como:

  1. Concordo ou discordo com a abordagem do autor?
  2. Tenho uma alternativa?
  3. como é que vou discutir isso?
  4. Como é que o digo?
  5. Qual é a estrutura do meu texto?
  6. Que idioma utilizo?

Quando sabemos o que queremos dizer com o que dizemos, não é muito difícil. Portanto, a fase central na elaboração de um ensaio consiste na construção do esquema deste ensaio, tanto em termos de conteúdo como de forma.

Imaginamos que nos é pedido que escrevamos um ensaio de duas páginas sobre o tratamento dado por um autor a um assunto num romance ou sobre um artigo político que aparece na imprensa. Será necessário seguir uma série de passos que, em última análise, nos levarão à elaboração de um esquema do tipo que será como a fachada de nosso ensaio.

1. Leitura abrangente

Temos de trabalhar no material que nos é proposto: temos de ler, sublinhar, procurar ideias importantes, ver como o autor argumenta, até termos a certeza de que compreendemos tudo o que lemos.

2. Abordagem crítica

Uma vez que compreendemos o que lemos, devemos analisá-lo criticamente. Pensaremos se nos parece que é muito discutido, se estamos convencidos pelos pontos de vista apresentados, se estamos satisfeitos com a forma como o autor o explica, etc. Por último, teremos de nos concentrar num aspecto muito importante: concordo com a posição do autor sobre o assunto? A resposta a esta pergunta é decisiva para a abordagem do nosso ensaio.

3. Elaboração da própria abordagem.

Depois de termos decidido que concordamos, discordamos ou concordamos parcialmente com a abordagem do autor sobre o assunto, teremos de pensar muito bem qual é a nossa posição, ou seja, procuraremos os argumentos, as razões pelas quais temos de defender a nossa posição e pensaremos também nos exemplos que nos ajudarão a explicá-los. Aqui é fundamental encontrar informações sobre o assunto em questão. Por vezes, pode ser que já tenhamos alguma informação sobre o assunto ou que uma conversa com os colegas a forneça, mas, noutras ocasiões, teremos de procurar nos livros, na biblioteca, na imprensa, etc. Será muito difícil para nós escrever um texto que seja compreensível e que seja fácil de ler sobre algo que não fazemos ideia.

Instruções para fazer um teste

  1. Para decidir a abordagem que o nosso ensaio terá: seja a favor, seja contra ou contra, ou contra a neutralidade, respeite a posição defendida pelo autor.
  2. Decidir se se deve focar numa das ideias apresentadas pelo autor ou se, pelo contrário, deve elaborar cada uma das ideias apresentadas pelo autor. O que não deve ser esquecido é que se você se pergunta como fazer um ensaio você tem que ser claro que, embora possamos nos concentrar em algum aspecto específico, será sempre melhor que, pelo menos, façamos um breve tratamento geral dos outros tópicos porque não parece que simplesmente ignoremos o que não entendemos.
  3. Decidir como vamos estruturar o ensaio, vamos nos dedicar a defender e/ou refutar as idéias do autor uma a uma, vamos nos basear em um livro ou filme que lemos sobre o assunto para criticar/defender as idéias do autor, a partir de uma notícia recente sobre o assunto, etc. Aqui as possibilidades são enormes e só são limitadas pela aceitação dos resultados de qualquer abordagem que seja clara e que produza uma reflexão interessante sobre o tema proposto. O que nunca será correcto é uma mera repetição das ideias do autor, a cópia das ideias destinadas à aula ou ao livro didáctico e, sobretudo, o afastamento injustificado do assunto tratado.
  4. Temos que ter um esboço (pode ser muito breve) do que vamos dizer e em que ordem antes de começarmos a escrever.
  5. É necessário decidir que tipo de idioma será usado e de que pessoa escreveremos, já que teremos que mantê-lo durante todo o ensaio e nunca poderemos mudar de ponto de vista. A língua evitará o coloquialismo e teremos de tentar utilizar palavras técnicas que mostrem que temos conhecimento da língua e do sector em que estamos a fazer o ensaio.
  6. Você nunca tem que escrever frases ou palavras cujo significado exato não sabemos.
  7. Depois de escrever o ensaio, tentaremos fazer com que uma pessoa com quem não temos uma relação muito próxima o leia com precisão e peça-lhe que nos faça uma crítica completa. Estas críticas serão as mais valiosas e serão as que farão com que depois de lhe dar alguns retoques o ensaio melhore muito a qualidade.

Dicas para o ensaio

  1. No momento em que vemos que o ensaio está terminando é o momento mais perigoso porque o desejo de terminar nos joga no chão todo o trabalho feito com um final simples e sem valor e conteúdo.
  2. Temos que tentar focar o máximo possível no comprimento que nos for especificado para ter o ensaio e não cair no erro de pensar que ao encher muitos fólios seremos mais valorizados porque este nunca é o caso.

Espero que tenhamos sido capazes de ajudá-lo a fazer um ensaio e alcançar o objetivo que você estava procurando.