A análise sintática é o conjunto de regras linguísticas que nos permitem analisar a estrutura de uma frase. É muito importante nos domínios jurídico, económico, político e outros, pois permitir-nos-á fazer a análise correcta da escrita para conseguir a sua perfeita interpretação. Tal análise não é absoluta, pois há frases ambíguas que escapam às regras de tal análise. A nível escolar, a análise sintáctica é utilizada para fins gramaticais, ou seja, como introdução à estrutura gramatical da língua, ajuda as crianças a interpretar textos e a aprender.

Em comofaire.com queremos ensinar-lhe a fazer análises sintáticas de frases e a classificá-las de acordo com diferentes aspectos.

O que precisas de fazer para analisar?

  • * Uma frase para analisar.
  • * Lápis, papel e um conhecimento básico de gramática.

Instruções para análise sintática

  1. Primeiro lemos a frase cuidadosamente, depois temos de encontrar o verbo conjugado.
  2. Assim que encontrarmos o verbo conjugado, temos de perguntar quem executa a acção. A resposta a esta pergunta revelará o Assunto Nominal ou Sintagma. Assunto ou sintagma nominal consiste em:
    1. Núcleo (N): é sempre um nome, pré-nome ou infinitivo.
    2. Determinante (De): artigo, possessivo, infinitivo, demonstrativo, etc. e vão ao lado do nome.
    3. Anexado (adj): é um adjetivo que sempre vai ao lado do nome.
  • Aposición (Apo): é um substantivo que não é precedido por uma preposição.
  • Complemento de Nome (CN): é um grupo de palavras que acompanha o Núcleo (geralmente preposição e substantivo).
  • O resto é o predicado ou sintagma verbal que consiste em:
    1. Nucleus (N): é um verbo conjugado.
    2. Complemento Directo (CD): para determiná-lo, os pronomes ?lo?, ?la?, ?los?, ?los?, ?las? podem ser substituídos.
    3. Complemento Indirecto (IC): pode ser substituído pela preposição ?a? e por vezes ?para?. Nunca pode ser substituído pelos pronomes "lo", "la", "los", "las".
    4. Complemento Circunstancial do Lugar (CCL): o verbo é perguntado Onde? (pode ser advérbio de lugar). Exemplo: Vens comigo ao cinema esta noite?
    5. Suplemento Circunstancial de Tempo (CCT): o verbo é perguntado quando (pode ser precedido por preposição ou advérbio de tempo) Exemplo: Saímos de férias na segunda-feira.
    6. Complemento Circunstancial do Modo (CCM): O verbo é perguntado Como? (pode ser um advérbio de modo) Exemplo: A criança chegou confortavelmente.
    7. Suplemento de Causa Circunstancial (CCCau): o verbo é perguntado por quê? Exemplo: Eu jogo xadrez porque gosto dele.
    8. Complemento Circunstancial de Propósito (CCF): o verbo é perguntado Para quê? Exemplo: Eu compro carne e vegetais para comer.
    9. Complemento Circunstancial da Empresa (CCCom): O verbo Com quem? Exemplo: Fui de férias com a Maria.
    10. Circunstancial Instrument Complement (CCI): o verbo é perguntado com o quê? Ele partiu a pizza com uma faca.
    11. Complemento Material Circunstancial (CCMa): O verbo é perguntado De que é feito? Exemplo: Ele fez uma escultura de gesso.
    12. Circunstancial Quantity Supplement (CCC): O verbo é perguntado Quanto? Exemplo: Eu gosto muito de comédia musical.
    13. Circumstancial Negation Complement (CCNeg): Quando há uma partícula Negativa. Exemplo: Marcela nunca chorou por amor.
    14. Complemento Circunstancial de Afirmação: Quando há uma partícula afirmativa. Exemplo: O jogo foi certamente muito chato.
    15. Se houver um complemento circunstancial que não possa ser incluído na lista anterior, ele será simplesmente chamado de Complemento Circunstancial (CC).
  • Também é importante ser claro sobre os diferentes tipos de Orações:
    1. Orações Passivas: quando o sujeito sofre a ação. O verbo está sempre na forma composta e é formado por um auxiliar copulativo mais o particípio do verbo conjugador.
    2. Orações Copulativas: é quando o verbo é copulativo (ser, ser, ser, aparecer), não tem sentido, serve apenas para unir o sujeito e o predicado. Trazem sempre um Complemento Circunstancial (CC), nunca Direto (CD) ou Indireto (CI). Pode ser substituído pelos pronomes Lo e Los.
    3. Orações Recíprocas: São quando dois ou mais sujeitos recebem ou realizam a ação.
    4. Orações reflexivas: São aquelas que o sujeito realiza ou recebe a ação.
    5. Direto Reflexivo: Quando o pronome alcança que a ação realizada pelo sujeito, cai sobre ele. Sua função é Complemento Direto quando não há outro Complemento Direto.
    6. Reflexivo Indireto: Quando o pronome recebe a ação realizada pelo sujeito, cai sobre ele. Sua função é Plug-in Indireto quando a ação já tem um Plug-in Direto.
    7. Reciprocal: Quando o sujeito é múltiplo e realiza a mesma ação simultaneamente, um em direção ao outro e o outro em direção a um.
    8. Falso ?se?: Quando o Complemento Direto (lo) e o Complemento Indireto (le) são Pronominados, o pronome ?se? é substituído pelo pronome ?le?.
    9. Reflexo Passivo: Só é possível em Terceira Pessoa de Singular ou Plural, tem sujeito que concorda com o verbo em número, é geralmente um sujeito de coisa e recebe a ação. Podes ir antes ou depois do verbo. Não tem nenhuma função específica.
    10. Reflexo Impessoal: Só é possível em Terceira Pessoa de Singular ou Plural, tem sujeito que concorda com o verbo em número. Não tem tema gramatical e se tiver Complemento Direto. São frases impessoais com verbos intransitivos. Não tem nenhuma função específica.
    11. Pronominais: Acompanha verbos pronominais tais como: gabar-se, ousar, ocorrer? que não podem ser conjugados sem um pronome. O pronome "se" é parte do verbo. Pode ser oposição dativa, ética ou lexical.
  • Outra forma de classificar frases é pelo nome, elas podem ser:
  • Simples ou Composto: Simples quando carregam um verbo conjugado. Compostos quando carregam mais de um verbo conjugado.
  • Unimembre ou Bimembre: Unimembre quando são formados por um único sintagma (Nominal ou Verbal). Bimembres quando são formados por mais de um sintagma (Nominal e Verbal)
  • De acordo com os seus significados, podem ser:
  • Enunciativo, duvidoso ou exclamatório.
  • Afirmativo ou Negativo
  • Ativo ou Passivo: Ativo quando carregam um verbo ativo. Passivo quando carregam um verbo numa voz passiva (Aux. Cop + Participio)
  • Transitivo ou Intransitivo: Transitivo quando carregam um verbo transitivo e têm um Suplemento Direto, Intransitivo quando não carregam um verbo transitivo e não têm um Suplemento Direto.
  • Copulativo ou Preditivo: Copulativo quando levam um verbo copulativo (ser, ser, parecer) e Preditivo quando levam qualquer outro verbo.
  • Pessoal e Impessoal: Pessoal quando têm um sujeito na frase ou omitido.
  • Impessoais quando não têm assunto, geralmente verbos meteorológicos (chuva, trovão, neve, granizo).